Resenha - Cidades de Papel (FILME)

Hoje fui assistir Cidades de Papel, fui sozinha o que foi uma experiência maravilhosa, afinal em todos os meus 23 anos eu nunca fui sozinha ao cinema, na verdade fiz poucas coisas sozinhas porque minha timidez (uma timidez que eu achava ser muito maior do que realmente é) me impedia, e também porque tinha alguém para ir comigo então eu não precisava me preocupar em sentar sozinha em uma cadeira de cinema, ao lado de varias pessoas que eu nunca vi na minha vida.
E eu gostei de ter ido sozinha, principalmente neste filme. Confesso que ainda não li o livro (como Julia, você tem um blog de livros (que você não postava há meses) como ainda não leu?), sim, eu tenho ele na minha estante há meses e meses, mas não li, por falta de tempo, porque eu estava muito apaixonada por A Culpa é das estrelas e tinha medo de me decepcionar, e enfim, vários motivos. E eu me arrependo, e eu já peguei o livro e comecei minha leitura, então haverá resenha daqui uns dias.
Como ainda não li o livro, esta postagem será somente sobre o filme, sem comparações nem nada. Eu amei o filme, gostei do começo, do meio e do fim. Gostei dos personagens tão humanos, principalmente do Quentin e da Margo, dos romances, das amizades, da inocência e das piadas. E gostei do final, não foi clichê, foi totalmente interessante e verdadeiro. A única coisa que eu não gostei muito foi da atuação da Cara Delevingne, mas o resto do elenco foi maravilhoso, quero muitos e muitos outros filmes com o Nat Wolff.  




É um filme diferente, sobre personagens diferentes, sobre como às vezes achamos que uma pessoa é muito mais do que ela é, e sobre como estamos esperando por um futuro sem viver o agora, como na parte em que o Quentin fala que quer ser medico, casar e ter filhos e a Margo pergunta “e é ai que você vai ser feliz?”, ou seja, estamos esperando o futuro, sonhando com o futuro, sem perceber que o momento é agora. Sejamos felizes agora, e amanha, e daqui a cinco anos! 

Uma conversa sobre o amor

   

      Eu sempre pensei que existem vários tipos de amor, cada um com o seu próprio jeito e sua própria intensidade. Eu amo livros, mas não do mesmo jeito que amo filmes, eu amo pessoas, mas não do mesmo jeito que amo meus cachorros, eu amo ficar sozinha, mas não do mesmo jeito que eu amo estar rodeada de pessoas. São amores diferentes, cada um tem o seu tempo e cada um tem uma dedicação diferente de minha parte.
       Ultimamente eu tenho pensado muito no amor, ele é algo lindo, maravilhoso, mas também é algo devastador. Ele é paz e guerra, o mesmo amor que te faz feliz pode ser o mesmo amor que te deixa triste. E dentre todos os amores, os que envolvem outras pessoas são os mais difíceis. É difícil amar alguém que não nos ama de volta, é difícil aceitar quando o amor pega as suas trouxinhas e vai embora sem olhar para trás, o mesmo amor que antes era motivo de risos, pode se tornar motivo de choros. É confuso, é horrível, mas ao mesmo tempo é necessário.
       Como a morte diz no livro A menina que roubava livros “os seres humanos me assombram”, e ela é uma frase tão maravilhosa porque sim, nós assombramos, somos seres confusos, intensos, imprevisíveis, somos capazes de fazer o bem e o mal sem saber exatamente o porque. Somos capazes de amar e desamar com uma intensidade e uma rapidez incrível. 
      E acabo esta conversa com Carlos Drummond de Andrade e seu poema chamado Amar:
“Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?
(...)
Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.”

Editora Arqueiro : Lançamentos de Janeiro

Sinopse: Antes do alvorecer do século XX, um trio de irmãs chegará à idade adulta, todas bruxas. Uma delas terá o dom da magia mental e será a bruxa mais poderosa a nascer em muitos séculos: ela terá poder suficiente para mudar o rumo da história, para suscitar o ressurgimento do poder das bruxas ou um segundo Terror.
Quando Cate descobre esta profecia no diário de sua mãe, morta há poucos anos, entende que precisa repensar seus planos. Qual sera a melhor opção: servir a Irmandade, longe dos olhos vigilantes dos Irmãos caçadores de bruxas, aceitar uma proposta de casamento que lhe garanta proteção e segurança ou abandonar tudo e viver um grande amor proibido?
Prepare-se para se encantar com os jovens pretendentes de Cate, abominar o ódio e a repulsa que os Irmãos dedicam a meninas e mulheres, e aguardar ansiosamente pela sequência de As Crônicas das Irmãs Bruxas.

Sinopse: Parecia que eles seriam felizes para sempre. Mas toda relação tem seus conflitos.
Depois do escândalo em que se viram envolvidos em Toronto, Gabriel e Julia se casaram e se mudaram para Massachusetts, onde ele dá aula na Universidade de Boston e Julia faz doutorado em Harvard. Agora ela precisa provar que não vive à sombra do marido famoso.
Mas parece que Gabriel não está pronto para ver a esposa caminhar com as próprias pernas. Quando ela é convidada a dar uma palestra em Oxford, surge seu primeiro conflito: a linha de pesquisa dela diverge da teoria dele.
Durante a conferência, os dois são obrigados a confrontar antigos rivais, entre eles a incansável Christa, que, ainda determinada a humilhar Julia, ameaça revelar um dos segredos mais obscuros de Gabriel.Além disso, as coisas entre eles não vão muito bem. Isso porque Gabriel está ansioso para ter um filho, mas Julia quer concluir o doutorado primeiro.
Para ver realizado seu sonho de formar uma família, Gabriel terá que enfrentar fantasmas do passado. Será ele capaz de fazer isso? E será que a generosidade de Julia resistirá à ameaça de ver arruinada a carreira que ela tanto se esforçou para construir? A redenção de Gabriel é o desfecho brilhante dessa trilogia que arrebatou leitores no mundo inteiro.

Sinopse: Cara Anna, 
Já comecei esta carta várias vezes e aqui estou, começando-a novamente, sem fazer a mínima ideia de como lhe dizer. A carta não terminada é a única pista que Tara e Emy têm para entender o que levou sua amiga Noelle ao suicídio. As três eram inseparáveis desde a faculdade e tudo a respeito de Noelle – seu trabalho de parteira, a forma como se dedicava apaixonadamente a diversas causas sociais, seu amor pelos amigos e a família – se encaixava na descrição de uma mulher que amava a própria vida. Só que havia muitas coisas que Tara e Emy desconheciam. Por exemplo, quem é Anna e por que Noelle nunca a mencionara. Com a descoberta da carta e do terrível segredo que a motivou, as duas começam a desvendar a verdade sobre essa mulher forte, independente . Com delicadeza e equilíbrio, Diane Chamberlain constrói uma história sensível sobre amizade e relacionamentos e levanta a pergunta: até que ponto você seria capaz de perdoar alguém que ama? gentil que entrou em suas vidas trazendo amor e compaixão, mas que também pode ser a responsável por muitas tristezas e ilusões.



Sinopse: Poppy Hathaway está em Londres para sua terceira temporada de eventos sociais. Como nos dois anos anteriores, ela se hospedou com a família no hotel Rutledge. E, como nos dois anos anteriores, tudo indica que retornará a Hampshire sem ter encontrado um pretendente com quem se casar.
Apesar de ser extremamente bonita e gentil, Poppy tem duas grandes desvantagens em relação às outras moças: sua inteligência deixa muitos homens acuados e o fato de vir de uma família tão pouco convencional faz com que os melhores partidos nem sequer a abordem. Mas o destino a coloca no caminho de Harry Rutledge, um homem de passado triste, que venceu na vida por conta própria e aprendeu a encarar tudo como um negócio. O dono do hotel não ama ninguém, confia em poucos e manipula todos. Porém, mesmo sendo tudo o que Poppy nunca almejou, ela não pode negar o fascínio que sente por ele. Quando Harry conhece Poppy, é tomado pelo desejo. Ele imediatamente tem a certeza de que a jovem será sua – e, para o bem ou para o mal, não mede esforços para que isso aconteça. Mas fascínio e desejo não serão suficientes para construir sua história, sobretudo quando uma traição põe em jogo as bases do relacionamento. Agora, é entre quatro paredes que eles tentarão resolver problemas e anular diferenças, num romance sensual em que seu futuro juntos pode mudar a cada toque, cada encontro, cada descoberta.

Poster de A Culpa é das Estrelas

        Hoje foi liberado o poster da adaptação cinematográfica de A Culpa é das Estrelas. Eu sou loucamente fã do livro, já li duas vezes e pretendo ler novamente assim que tiver tempo, e coragem, por que só de pensar na história eu já fico com os olhos cheio de lágrimas.
       O poster:


      Na minha opinião esta maravilhoso. Eu não tenho nada do que reclamar em relação aos atores pois acho que eles estão ótimos, e que não teria ninguém melhor para interpretá-los. Vejo muita gente comentando que não gostou, mas também vejo que esses tipos de comentários acontecem em todas as adaptações de livros para o cinema, e é até certo ponto compreensível. Cada um acaba tendo uma ideia de como os personagens são, dependendo da descrição do autor, e cria essa imagem na mente enquanto leem o livro. 
      Mas não acho que eles iriam escolher pessoas que não são competentes e não estão a altura dos personagens. E o John Green os ama, e acho que isso já basta para começar a acreditar que eles vão ser ótimos no papel.
     Estou muito ansiosa para divulgarem o trailer e principalmente a data que vai estrear no Brasil, e estou torcendo para que seja próximo a data de estreia dos EUA.

Resenha: A Ascensão do Governador - Robert Kirkman e Jay Bonansinga

Sinopse: No universo de The Walking Dead não existe vilão maior do que o Governador, o déspota que comanda a cidade de Woodbury. Eleito pela revista americana Wizard como "Vilão do ano", ele é o personagem mais controvertido em um mundo dominado por mortos-vivos. Neste romance os fãs irão descobrir como ele se tornou esse homem e qual a origem de suas atitudes extremas. Para isso, é preciso conhecer a história de Phillip Blake, sua filha Penny e seu irmão Brian que, com outros dois amigos, irão cruzar cidades desoladas pelo apocalipse zumbi em busca da salvação. Originalmente, The Walking Dead é uma série de quadrinhos publicada desde 2003 e vencedora do Eisner Award. Em 2010, os quadrinhos foram adaptados para o seriado homônimo The Walking Dead já bateu diversos recordes de audiência nos Estados Unidos e foi finalista em várias categorias no 68º Golden Globe Awards, incluindo Melhor Série Dramática de TV.



            Desde que a série de televisão The Walking Dead estreou eu a acompanho. Já passei por épocas de amor e até raiva, achando episódios maravilhosos e outros que não fariam nenhuma falta se não tivessem existido. E isso também acontece em relação aos personagens, eu tenho os meus preferidos, e outros que eu torço muito para que sejam atacados por zumbis. E tudo ficou melhor quando o Governador apareceu.
            Eu adoro vilões, e os meus preferidos são aqueles que boa parte das vezes não parecem vilões, que você até chega a pensar “essa pessoa não é tão ruim” e de repente ele faz algo repulsivo ou decide matar um monte de gente e destruir tudo. Aquele tipo que só faz maldade do começo ao fim não me atrai, porque não acredito que haja alguém totalmente mau, assim como não há ninguém totalmente bom.
            E é por isso que eu fiquei curiosa para ler os livros de The Walking Dead, e por isso que o Governador é o meu personagem preferido na série. Já fazia algum tempo que eu via os livros e pensava que deveria ler, mas acabei enrolando com outras historias. Mas agora consegui.
            No primeiro livro, que se chama A Ascensão do Governador, somos apresentados a Phillip e Brian Blake, os irmãos que a única coisa que tem em comum é o sobrenome, porque o primeiro se mostra corajoso e sem medo de matar os zumbis ou fazer o que for preciso para salvar a si mesmo e aos outros, e o segundo se esconde nos armários com sua sobrinha, não tem coragem de matar ninguém e ainda tem varias duvidas sobre os zumbis, se eles estão realmente mortos ou se ainda há um suspiro de vida dentro deles.
            Também há a filha de Phillip que se chama Penny. Gostei muito de como o Brian trata a sobrinha, ele chega a criar um código com ela, um palavra chave para quando a menina precisasse fechar os olhos e tapar os ouvidos.
            Além deles há mais dois amigos de Phillip. Os cinco tentam sobriviver ao caos que virou aquele lugar, e tentam achar um lugar onde podem ficar e se sentir pelo menos um pouco seguro, o que é claro, acaba se mostrando algo muito difícil de conseguir. Eles encontram pessoas que estão na mesma situação, algumas estão dispostas a ajudá-los e outras só querem prejudicar.
            Gostei muito de saber sobre o passado do Governador. Na verdade nada me impressionou muito porque eu sou uma pessoa curiosa que acaba lendo spoilers, então já sabia sobre alguns acontecimentos, e também muita coisa fez sentido por causa da série, mas é interessante ler como ele virou aquela pessoa, e quais os seus motivos. Porque como eu comentei no começo, não acho que exista alguém totalmente mau, e as pessoas que tem o lado mau mais forte que o lado bom costumam ter os seus motivos para isso, na maioria das vezes.

            





A Culpa é das Estrelas (FILME)

       Como vocês devem saber, ou se não sabem vão ser atualizados agora sobre isso, o livro A Culpa é das Estrelas vai virar filme (ÊEE, uhul). Esse é um dos meus livros favoritos (eu não consigo ter somente um livro favorito, são tantos livros bons por ai), e eu sou completamente e loucamente apaixonada por ele. Para terem uma idéia eu estou lendo pela segunda vez ( a primeira vez que li foi a um ano atrás) e faz umas duas semanas que estou lendo, porque não quero que ele chegue ao final, porque não quero que... enfim... quem leu sabe.
      Eu acompanho o John Green no facebook e no Twitter, e o Ansel Elgort no twitter, e no momento acho eles as pessoas mais queridas do universo. Para quem não sabe o John Green é o autor do livro e está acompanhado as filmagens, e o Ansel Elgort é o Augustus Waters (Gus!!!), e a Shailene Woodley será a Hazel Grace. Todos os dias eles colocam algumas fotos nas redes sociais, vou colocar algumas aqui, porque são ótimas, porque todos são fofos demais, e porque o mundo merece saber desse livro/filme.

Nat (Isaac), John,  Ansel (Augustus) , Shai (Hazel)







Resenha: Tipo Destino - Susane Colasanti

Sinopse: Lani e Erin são melhores amigas, embora não tenham muito a ver uma com a outra. Lani é uma taurina tranquila e Erin é a impetuosa leonina. Uma adora Astrologia (e outras artes adivinhatórias também) e ficar em casa; a outra gosta de pessoas e baladas. Suas preferências — incluindo pizzas e meninos — são bastante diferentes, ou eram, até que Erin começou a namorar Jason...
Assim que Lani conheceu o namorado de Erin, sentiu uma enorme conexão com ele. Uma sensação de que já se conheciam a vida toda. E, apesar de acreditar que ele sentia o mesmo, ela sempre soube que Jason estava fora de cogitação, afinal, ele era quem ele era!
Ela decidiu ignorar seus sentimentos. Não importava o quanto quisesse ficar perto de Jason, nada a demoveria da ideia de se manter distante dele.
Então, Erin viajou durante todo o verão...





        Eu sou apaixonada por romances, seja livros, filmes, contos, qualquer coisa. Se tiver um casal com uma grande chances de ficarem juntos, provavelmente eu vou querer conhecer a história, e eu costumo também ler muito mais rápido os livros de romances. Tipo Destino eu li em um dia, é uma leitura rápida e divertida, não é um livro cansativo e pesado.
       Eu gosto desse tema de garota se apaixona por garoto que já tem outra pessoa e tudo mais, mas também acho que ele já está um pouco batido, já tem outros livros por ai com esse mesmo tema, claro que cada tendo os seus pontos diferentes, com narrativas e desfechos diferentes.
       Gostei da Lani, ela é uma boa protagonista, não fica se lamentando a todo o momento e chorando pelos cantos, e se interessa muito por destino, o que fez com que eu gostasse mais dela. Ao longo do livro ela lê o seu horóscopo, vai em uma vidente, e gostar de saber mais sobre esse mundo da astrologia e do miticismo. Esse é um assunto que me interessa, apesar de eu nunca ter tirado um tempo para saber mais sobre isso, e também ser um pouco cética em relação a astrologia.
       Mas eu até que acredito em alma gêmea. Acho que há alguma pessoa que tem os gostos parecidos com os nosso, que parece que nos conhece desde sempre, e tudo mais. E a Lani encontra essa pessoa, ela encontra o Jason, que tinha tudo a ver com ela, e que parecia o garoto dos seus sonhos. O único problema é que ele estava namorando a sua melhor amiga.
       Lani até tenta esconder o que estava sentindo, mas era nítido que o Jason tinha tudo a ver com ela, e nada a ver com a Erin. E não ajuda muito o fato de Blake, o seu melhor amigo, ficar dizendo que o garoto sentia algo por ela, que ele a olhava de um jeito diferente.
       E então quando Erin vai passar as férias fora, os dois tem a chance de ficarem sozinhos. Lani até tenta evitar o namorado de sua amiga, mas eles acabam se encontrando, como se o destino estivesse realmente empurrando um para o outro.
       A capa dele é linda e tem tudo a ver com o livro. Quem ler vai entender o sofá dessa cor, e o quadro com sorvete.